terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Significado, superstições e histórias que fazem parte do grande dia!

O casamento é um acontecimento cercado de tradições e misticismos. Ao longo dos anos, foram se acumulando simbolismos, superstições e histórias que fazem de cada evento um acontecimento especial. Conheça algumas tradições e seus significados:



Bolo de fitas: Elaborado especialmente para o chá-de-cozinha, o bolo assado com várias tiras de tecido com as pontas para fora é uma tradição que vem sendo passada ao longo dos anos. As amigas da noiva puxam as fitas e tentam encontrar uma aliança que está amarrada em uma das tirinhas, dentro do bolo. A moça que puxar a fita com o anel, será a próxima a casar.



Mês: Um ditado japonês ensina que as noivas devem se casar em junho (june bridal) para que a união perdure por muitos anos. No Brasil, o mês preferido também é maio, provavelmente, pela referência de Maya, Maria, mãe. 


Vestido branco de noiva: Foi a rainha Vitória, no século XIX, que começou a tradição do vestido branco. Ela padronizou a cor, lançando moda às noivas, que passaram a usar o branco e variações da cor, como champagne e marfim. Com o passar do tempo, o branco tornou-se o preferido, por transmitir pureza, castidade e inocência. Atualmente, algumas noivas inovam e usam vestidos coloridos, com toques de vermelho, azul e até amarelo.


Nomes na barra do vestido da noiva: Existe uma tradição baiana que diz que ter o nome bordado na barra do vestido de noiva de uma amiga atrai casamento. A cantora Ivete Sangalo, a apresentadora Adriane Galisteu e as atrizes Samara Felippo e Fernanda Rodrigues já tiveram seus nomes bordados na cauda do vestido de uma noiva amiga. A atriz Suzana Werner, quando casou com o goleiro do Flamengo, Júlio César, fez questão de prender na barra do vestido de noiva, um papel com o nome de todas as amigas que ainda estão solteiras. A tradição é bem clara: as amigas que estiverem com o nome na barra do vestido da noiva, se casarão em breve.


Alguma coisa nova, alguma coisa velha, alguma coisa azul e alguma coisa emprestada: Com origem nos Estados Unidos, diz a tradição que a noiva deve usar algo velho, algo novo, algo emprestado e algo azul no dia do casamento.
O item velho simboliza a transição na vida da noiva, de solteira para casada e remete à família. Muitas noivas usam o vestido de noiva que foi da mãe ou da avó, o véu ou uma jóia de família.
A peça nova se refere ao futuro da noiva a partir daquele momento. Sapatos ou acessórios novos podem dar um toque de feminilidade e glamour.
O objeto emprestado pode ser de uma amiga ou de algum familiar que tenha um casamento feliz e duradouro. Diz a tradição que esta alegria será repassada adiante.
O elemento azul é sinônimo de fidelidade e pureza no amor. Pode ser uma fita amarrada na lingerie, uma cinta-liga azul ou uma jóia nesta cor.



O noivo não pode ver a noiva vestida para a cerimônia antes do casamento: É uma tradição milenar praticada por quase todos os povos. Em alguns países árabes, o casamento (especialmente dos muçulmanos), ainda hoje é celebrado entre o pretendente e o pai da noiva (esta aguarda em outra sala). Somente depois de o casamento ser celebrado pelos homens, a noiva se encontra com o futuro marido. A tradição também ensina que o homem não deve tocar em nenhum pertence da noiva para não quebrar o encanto do matrimônio. Pode-se tocar apenas em objetos de vidro e ouro.



Noiva do lado esquerdo do noivo: Durante a celebração do casamento, a noiva se posiciona no lado esquerdo do noivo. É uma tradição que remonta à Idade Média: se algum homem tentasse "roubar" a futura esposa do noivo, este a defenderia com a espada usando o braço direito para o combate. Segundo a superstição, quando a noiva fica no lado esquerdo, também significaria afastar o risco da infidelidade.


Flor na lapela do noivo, do pai e dos padrinhos: A flor na lapela do noivo, do pai e dos padrinhos, geralmente é um cravo. Ela simboliza a afeição e carinho da noiva pelos parentes e amigos mais próximos. Os padrinhos podem usar a flor em tom avermelhado, enquanto o pai e o noivo costumam usar cores claras, como o branco.


Alianças de casamento: Começando nos Estados Unidos, o costume do noivo pedir a mão da amada em casamento e presenteá-la com um anel solitário de diamante ou outra pedra preciosa também já virou moda no Brasil. Na antiguidade, o diamante era chamado de pedra de Vênus, a deusa do amor e da prosperidade.
Atualmente é comum o uso de modelos de alianças lisas de ouro amarelo ou ouro branco, no quarto dedo da mão esquerda. Símbolo de união, amor, carinho e principalmente compromisso, o uso de alianças tem origem no Egito antigo, onde os faraós acreditavam que o círculo era um símbolo da eternidade. O uso no quarto dedo da mão esquerda se deve à crença dos egípcios de que uma veia passa nesse dedo e vai direto ao coração.


Chuva de arroz: Os noivos recebem as bênçãos e dão os primeiros passos como marido e mulher. Nada mais bonito e romântico do que uma chuva de arroz na saída da igreja para celebrar este momento sublime. O arroz é símbolo de frutificação, prosperidade, fertilidade, saúde, riqueza e felicidade para os chineses e hindus. As pétalas de flores também são usadas para homenagear os noivos. Seja qual for a maneira de compartilhar este momento feliz, jogando flores, arroz, bolhas de sabão ou mini-corações de papel, o importante é festejar!



Grinalda: A grinalda faz com que a noiva se pareça com uma rainha, diferenciando-a dos convidados. Quanto maior a grinalda, maior é o símbolo de status e riqueza. 



Véu: Hijab (véu), quer dizer, em árabe, "o que separa duas coisas". O véu da noiva significa separar-se da vida de solteira, para entrar em uma nova vida; a de esposa. 
                                                                                                                           
Peça Azul: Outra tradição comum é a noiva usar uma peça azul para "cortar a inveja" das moças solteiras. Recomenda-se também "usar o véu, uma jóia e até mesmo o vestido" de uma esposa que foi bem-sucedida em seu casamento (avó, mãe etc). 



Moeda no sapato da noiva: Segundo o costume antigo, a moeda simboliza prosperidade, riqueza e homenageia a deusa da castidade, Diana. A noiva também pode distribuir pedaços do véu para as amigas, com o objetivo de compartilhar a boa sorte. A moda atualmente é a distribuição de mini-véus para todas as convidadas, na hora de jogar o buquê.


Jogar o buquê: O buquê da noiva sempre está relacionado com a personalidade da moça, a decoração do evento e o estilo do casamento. O objetivo do buquê é gerar harmonia e perfumar a vida do casal. Antigamente, os arranjos mesclavam flores e espinhos, pois, as flores atrairiam felicidade, enquanto os espinhos espantariam os maus espíritos. Acredita-se que somente as camponesas e moças mais humildes casavam com buquê de flores. As famílias mais ricas presenteavam as noivas com jóias, como terços feitos de ouro e diamantes, para serem carregados durante a cerimônia. Jogar o buquê significa querer compartilhar sua felicidade com os amigos. “Os gregos e romanos usavam antigamente alho e ervas ou grãos no buquê, pois acreditavam que afastava os maus espíritos e garantia um casamento próspero”, garantiu a consultora de casamentos Márcia Possik.


Bolo dos noivos: Branco ou colorido, doce, decorado e com recheios diferentes, o bolo de casamento é indispensável nas festas. Ele faz parte até mesmo das celebrações mais simples, onde os noivos comemoram apenas com um bolo e um brinde com champagne. Conta a lenda que antigamente, todos os convidados levavam pedaços de bolo para os casamentos, que eram empilhados até formar uma pirâmide. Até o dia que um padeiro teve a idéia de confeitar os pedaços de bolo juntos, formando um bolo de vários andares. Esta tradição tornou-se freqüente nos casamentos até os dias atuais.


Noivinhos no topo do bolo: Divertidos ou clássicos, as miniaturas dos noivos ou caricaturas sempre retratam uma cena que ficou na memória do casal ou contam um pouco de sua história. Antigamente, eram usados modelos padrões, feitos de resina ou porcelana. Com a chegada do biscuit, os noivinhos personalizados ganharam destaque nos casamentos. Hoje eles são preferência nacional e já estiveram presentes vários casamentos de famosos, como Joana Prado, Simoní, Fábio Júnior, os ex-BBBs Flávia e Fernando, Nívea Stelmann e Roberto Justus. Os noivinhos para o topo de bolo combinam com todos os estilos de casamento e decoração.


Bem-Casados: Miniaturas do bolo da noiva em porções individuais, o bem-casado é símbolo da união e da elegância. Feito normalmente com pão-de-ló e recheado com diversos sabores (o mais tradicional é o recheio de doce-de-leite), o doce é coberto por uma calda caramelada. O bem-casado virou lembrancinha, com recheio de baba-de-moça, doces de diversas frutas e até geléias. Ele simboliza a união eterna do casal.


Macarrons: O doce nasceu em Veneza, na Itália e se tornou muito popular na França. A massa é feita a base de amêndoas, açúcar e claras. No Brasil, são muito comuns recheios tropicais, como frutas (banana, maracujá e capuaçu) e chocolate. Muitas vezes substituem o bem-casado e são usados também como parte da decoração, pois suas mais variadas cores alegram o ambiente.


Amêndoas: As amêndoas são muito comuns no casamento árabe e italiano. No Brasil, o costume é oferecer no final da cerimônia, seja no lugar dos bem-casados, em sopeiras na mesa dos doces ou dentro de uma caixinha decorada, como lembrancinha. O significado não muda: as amêndoas simbolizam a sorte e felicidade do casal. Muitos noivos também enviam amêndoas no convite de casamento ou junto com o cartão de agradecimento.


Carregar a noiva no colo: Acredita-se que a noiva atrai azar se entrar no novo lar com o pé esquerdo. Sendo assim, para evitar esta onda de má sorte, o noivo carrega a amada no colo até dentro da casa. O objetivo é evitar maus espíritos e espantar a crença que se a noiva cair na entrada de casa, terá um casamento infeliz.


Cortar a gravata do noivo: Os amigos do noivo se reúnem e passam de mesa em mesa, pedindo um dinheiro extra para ajudar os noivos a pagar a lua-de-mel. Padrinhos e parentes “vendem” pedacinhos da gravata em troca de uma pequena contribuição financeira. Cada vez que arrecadam dinheiro, cortam um pedaço da gravata do noivo e dão de lembrança para o convidado, como agradecimento. Atualmente, para evitar que a gravata do noivo seja estragada, são usadas mini-gravatas ou réplicas da gravata do noivo. Muitas vezes, as gravatinhas têm o mesmo tecido e a mesma estampa da gravata original do noivo.


Lua-de-mel: Conta a lenda antiga que amigos e parentes desenhavam uma lua coberta de mel na porta da casa dos noivos, para atrair sorte e paixão eterna. A história também possui a versão de que na era primitiva, os povos se casavam somente quando a lua estava cheia e eram obrigados a beber uma mistura a base de mel, para deixar o relacionamento romântico e o casal sempre unido. Hoje, os noivos planejam uma viagem romântica para descansar e comemorar o início desta nova fase do relacionamento.

2 comentários:

Tereza disse...

Um guia completo de significados hein? Tnata coisa que eu nem sabia que existia e as que sabia que existia não sabia do pq, agora já sei!

Clô Zuzza disse...

Muito interessante realmente! Minha intenção é resgatar esses significados e aura mágica que é um casamento!

Ainda não acabou!
Clique nas páginas acima
e veja mais Bem Casados lindos!